Esta é a versão antiga da Dying Days. A nova versão está em http://dyingdays.net. Estamos gradualmente migrando o conteúdo deste site antigo para o novo. Até o término desse trabalho, a versão antiga da Dying Days continuará disponível aqui em http://v1.dyingdays.net.


arquivo
letras traduzidas
Home | Bandas | Letras | Reviews | MP3 | Fale Conosco
Review: The Science Of Things

avaliação:

"The Science Of Things" está repleto de um sentimento de aflição e de infortúnio com temas variados (moda, fadiga, governos sem nome, etc.), mas que não pretendem expor nenhum ponto de vista da realidade pessoal. As guitarras estão tão monolíticas e intensas como sempre, fazendo um som com influências tecno e ao mesmo tempo pesado.

Em "40 Miles From The Sun", parece que a música foi gravada a meia velocidade. Entretanto, apresenta um bom trabalho de guitarra, baterias gentis, uma cascata de cordas e a letra "there is nowhere left to hide, there is nothing left to be done" (Não há nada mais para esconder, não há nada mais a ser feito) dá o efeito desejado. "Letting The Cables Sleep" é igualmente majestosa, com uma estranha interseção de piano acústico, cordas e a voz de Rossdale se misturando ao contexto. Músicas como "The Disease Of The Dancing Cats" e "Prizefighter" mostram o som típico do Bush. Rossdale, aliás, desempenha um grande papel, mas o espírito de Cobain está em todo lugar: desde as guitarras de "Warm Machine" e "The Chemical Between Us", até o pessimismo que preenche cada música. Isso deixa claro que tudo seria diferente, não fosse Kurt Cobain ainda o centro das atenções, mesmo para uma banda conceituada como o Bush.

Felipe Barros Pereira